Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Feliz anivers√°rio Nick!

13 de dezembro de 2016 às 14:40 por Simone


nick-mccarthy

Manuela ‚Äď primeiro single ‚ÄúCracks In The Concrete‚ÄĚ

22 de julho de 2016 às 20:42 por Simone


Com a pausa no Franz Ferdinand, o Nick est√° envolvido com v√°rios outros projetos, um deles se chama Manuela.¬†A Stereogum e a gravadora Lost Map contam a hist√≥ria por tr√°s do primeiro single, rec√©m lan√ßado,¬†‚ÄúCracks In The Concrete‚ÄĚ, e o que esperar do √°lbum que tem lan√ßamento previsto para daqui a 3 ou 4 meses. Uma turn√™ no final do ano tamb√©m est√° prevista, mas ainda sem datas divulgadas.

Eles acabam de se apresentar no festival Peace & Noise #2 em Munich :) (devido aos acontecimentos do dia 22/07 a apresentação não aconteceu).

‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ‚ÄĒ

Ou√ßa¬†‚ÄúCracks In The Concrete‚ÄĚ

Fonte: Stereogum¬† –¬†@PTrewn | 11 de julho 2016

Na sexta passada, o Franz Ferdinand anunciou que o guitarrista Nick McCarthy sairia da banda por um tempo, a primeira mudan√ßa na composi√ß√£o nos 16 anos de hist√≥ria do grupo. A decis√£o surgiu de um desejo de passar mais tempo com sua fam√≠lia, em vez de passar por¬†outro ciclo de grava√ß√£o / turn√™ do pr√≥ximo √°lbum do Franz Ferdinand. A declara√ß√£o da banda inclu√≠a que esta licen√ßa “√© uma grande oportunidade para ele explorar alguns de seus outros interesses musicais,” e apenas um fim de semana mais tarde, estamos descobrindo que o novo projeto e a o tempo com a fam√≠lia andam de m√£os dadas. Manuela √© a colabora√ß√£o musical de McCarthy com sua esposa, a vocalista e compositora Manuela Gernedel, e “Cracks In The Concrete” √© o primeiro single lan√ßado pelo casal.

Gravado no est√ļdio de McCarthy, Sausage, em Hackney, Londres, e co-produzido por Sebastian Kelig, ‚ÄúCracks in the Concrete‚ÄĚ √© um dance-rock furtivo, discreto que se arrasta com linhas de guitarra ecoantes e crescentes. ‚ÄúA baby was born in my house last night/ And I dreamt of money and success/ My friend got robbed outside his flat/ And I dreamt of a baby,‚ÄĚ (‚ÄúUm beb√™ nasceu em minha casa noite passada / E eu sonhei com dinheiro e sucesso / Meu amigo foi roubado perto de seu apartamento / E eu sonhei com um beb√™‚ÄĚ), Gernedel canta num tenor √°gil. Aqui Gernedel explica a inspira√ß√£o por tr√°s da can√ß√£o:

Em termos de letra, ‚ÄúCracks in the Concrete‚ÄĚ, assim como ¬†a maior parte do √°lbum, fica indo e voltando entre uma narra√ß√£o e um mon√≥logo interno. Cracks in the Concrete foi parcialmente inspirada pela frase em Franc√™s “sous les p√°ves, la plage!‚ÄĚ, que surgiu durante a revolta dos estudantes ocorrida l√° em maio de 68. Traduzindo por cima, quer dizer ‚Äúh√° areia embaixo do asfalto!‚ÄĚ. Fala sobre o potencial de rupturas e rompimentos. √Č tudo m√≥rbido e est√° se despeda√ßando e voc√™ tem de continuar dizendo a si mesmo que vai dar tudo certo (‚Äúeverything is healing‚ÄĚ / ‚Äútudo est√° sarando‚ÄĚ).

Compre ‚ÄúCracks In The Concrete‚Ä̬†aqui. O √°lbum de estreia, Manuela, ser√° lan√ßado em breve pela Lost Map Records. Ele ir√° contar com Jim Dixon (Django Django), William Reese (Mystery Jets), Roxanne Clifford (Veronica Falls), e Paul Thomson (Franz Ferdinand) como convidados.

——————————–

A gravadora¬†Lost Map¬†tamb√©m falou sobre o lan√ßamento…

“Lan√ßado como single em formato cart√£o postal¬†PostMap e download, dispon√≠vel exclusivamente no lostmap.com, e acompanhado por um palpitante b-side disco-remix produzido pela DJ Nadia Ksaiba, √© uma alegre apresenta√ß√£o ao seu viciante, ecl√©tico, fora do normal e refrescante pop ‚Äėfa√ßa-voc√™ mesmo‚Äô, e uma √≥tima amostra do √°lbum de estreia prestes a ser lan√ßado.

Gravado depois que McCarthy terminou a turn√™ da colabora√ß√£o do Franz Ferdinand e Sparks, o FFS, ‚ÄėCracks in the Concrete‚Äô representa a primeira can√ß√£o que Gernedel e McCarthy fizeram juntos como Manuela, e sua chegada incans√°velmente divertida e refrescante, com suas linhas de guitarra arranhadas e serpenteadas, sintetizadores an√°logos esmagadores e um gancho mel√≥dico persistente v√£o fazer voc√™ apertar o ‚Äėplay‚Äô sem parar. Apresentando letra e voz por Gernedel e m√ļsica composta e tocada por McCarthy, foi feito no est√ļdio de McCarthy, Sausage, em Hackney e co-produzido por Sebastian Kellig. O √°lbum Manuela, est√° sendo finalizado no momento e com data de lan√ßamento ainda a ser determinada”

1

O v√≠deo foi gravado em uma f√°brica t√™xtil vizinha ao Sausage Studio (e algumas cenas internas do est√ļdio) e j√° est√° dispon√≠vel.

     

 

Cr√©ditos dos links e para mais informa√ß√Ķes: Fuck yeah Sausage

Nick McCarthy após a saída do Franz Ferdinand

20 de julho de 2016 às 19:01 por Simone


“N√≥s precisamos investir muito em uma babysitter para conseguir escrever esse √°lbum.”

 

Nick McCarthy cresceu em Rosenheim e foi um dos membros fundadores da banda brit√Ęnica Franz Ferdinand, uma das melhores e mais bem sucedidas bandas de indie-rock dos anos 2000. Na √ļltima semana os f√£s levaram um leve choque: ele deixou a banda, fez um projeto pr√≥prio com sua esposa, com o qual se apresenta em Munique no final de semana.

Por: Sebastian Heigl 20.07.2016

41663994-100-_v-img__16__9__l_-1dc0e8f74459dd04c91a0d45af4972b9069f1135

Depois de v√°rias vezes no top 10 de √°lbuns, o Mercury Prize e dois Brit Awards uma pausa √© requerida. Nick McCarthy, guitarrista solo da banda brit√Ęnica Franz Ferdinand, faz uma pausa. Mas a pausa n√£o significa uma sa√≠da definitiva do universo da m√ļsica. Na √ļltima semana McCarthy lan√ßou com o seu novo projeto “MANUELA” o primeiro single, “Cracks In The Concrete”. Na √ļltima segunda-feira √† noite ele se apresentou na Kammerspiele de Munique em um evento beneficente para o c√≠rculo cultural da cidade. Sebastian Heigl encontrou-se com ele l√° e conversaram sobre separa√ß√£o, repara√ß√£o e sobre a MANUELA.

SH: Você se separou do Franz Ferdinand, ou melhor dizendo, fez uma pausa. O que te levou a essa decisão?

McCarthy: Eu queria simplesmente fazer algo diferente. Eu estou agora h√° 15 anos com o Franz Ferdinand, viajei em tour ao redor do mundo e gravei √°lbuns. Eu tamb√©m n√£o queria mais apenas escrever m√ļsicas com dura√ß√£o de tr√™s minutos, – eu queria simplesmente experimentar coisas diferentes – e tamb√©m estar em casa, eu tenho duas crian√ßas. Os caras da banda entendem isso naturalmente, eles vem isso tamb√©m muito positivamente. Eu acho legal tamb√©m que eles v√£o continuar. Ent√£o… por que n√£o?

SH: Voc√™ come√ßou agora um novo projeto com sua esposa, ele se chama MANUELA. Ent√£o como voc√™s chegaram a essa ideia de escrever m√ļsica juntos?
McCarthy: Eu j√° escrevo h√° muitos anos m√ļsicas junto com minha esposa. N√≥s j√° tivemos tamb√©m juntos uma banda, o Box Codax. Agora eu decidi tirar um tempo de f√©rias do Franz Ferdinand. A √ļnica coisa que mudou foi que agora eu tenho tempo, e ent√£o a partir disso surgiu um √°lbum. Ent√£o n√≥s falamos: vamos tocar em alguns shows e vemos ent√£o o que podemos fazer. Como sempre fazemos.

SH: Existe entre voc√™s alguma distribui√ß√£o? Quem escreve as letras, quem escreve a m√ļsica?
McCarthy: A Manuela de fato escreve boas letras, por isso eu preferencialmente n√£o fa√ßo isso. Eu escrevi a maioria das m√ļsicas. Mas isso √© dif√≠cil para um casal: as crian√ßas normalmente est√£o sempre por perto. N√≥s precisamos investir muito dinheiro em uma babysitter para conseguir escrever esse √°lbum. Parece chato, mas Rock’n roll tamb√©m. Mas foi muito bom ter tempo sozinho de novo. Veio muito amor atrav√©s das can√ß√Ķes. O √°lbum tamb√©m j√° est√° pronto. Ser√° lan√ßado entre tr√™s ou quatro meses, eu acho. N√≥s vamos entrar em Tour em outubro, novembro e ent√£o no ano novo.

SH: Na semana passada voc√™s disponibilizaram sua primeira can√ß√£o do √°lbum “Cracks In The Concrete”. Assim que se escuta, percebe-se que voc√™s se aproximaram bastante do som dos anos 80. Sintetizadores anal√≥gicos, bateria eletr√īnica (de computador). Por que os anos 80?
McCarthy: A era foi maravilhosa. Eu amo tamb√©m os LP’s dos anos 70. No qual todos os outros instrumentos eram tocados e apenas o baterista estava na bateria. E claro tamb√©m o Goth-Zeug, nele tamb√©m tinha sempre sintetizadores. Em “Sister of mercy”, por exemplo. Eu sempre flertei com os anos 80, tamb√©m quando eu estava no Franz Ferdinand, claro.

SH: O que você vai sentir falta no Franz Ferdinand? Melhor dizendo, você poderia se imaginar em algum momento voltando para a banda?
McCarthy: Para mim foi simplesmente uma banda insanamente incr√≠vel. Simplesmente funcionou com a gente. Isso provavelmente nunca acontecer√° de novo na minha vida. N√≥s toc√°vamos qualquer can√ß√£o e isso claramente funcionava, isso √© algo que n√£o pode ser explicado, e esse tipo de coisa funciona muito raramente. E tamb√©m o √ļltimo concerto do Franz Ferdinand aqui em Munique foi simplesmente incr√≠vel. O Zenith tava t√£o cheio. Ent√£o eu de fato vou sentir falta disso e isso talvez me pressione de volta. Eu quero dizer…o Alex mora aqui bem na minha esquina e n√≥s ainda nos vemos, isso acontece. O que quero dizer, por outro lado, que para eles me substitu√≠rem eles v√£o precisar de duas pessoas (risos). N√£o, isso n√£o faz sentido!

TRADUÇÃO / AGRADECIMENTOS: Karen Lima 

FONTE: Bayern 2 | Fuck yeah SAUSAGE!

Mensagem para a banda e Nick

14 de julho de 2016 às 12:58 por Simone


Todos fomos pegos de surpresa com a nota publicada pela banda no dia 08/07, sobre a saída do Nick. Estamos tristes, mas não poderíamos deixar de mandar uma mensagem de força e apoio ao Alex, Paul, Bob, equipe e agradecimentos ao Nick. A mensagem foi enviada em nome do Franz Ferdinand Brasil e de todos os fãs brasileiros.

O Alex agradeceu pelas palavras e repassou para todos¬†‚̧

Segue a mensagem que enviamos…

mensagempbanda

Publicado por | Categoria(s): Banda,McCarthy | Tags: ,

Tinkershrimp & Dutch – Nick, Andy e Sebastian apresentam as composi√ß√Ķes para o desenho da Nickelodeon UK

10 de julho de 2016 às 17:12 por Simone


Muitos tem curiosidade de saber mais dos trabalhos paralelos do Nick fora do Franz, ainda mais agora que ele poderá dedicar mais tempo a eles durante os próximos anos.

Nick e Andy tem um est√ļdio em Londres, apelidado pelo Andy de “Sausage Studios” no qual o Nick completou chamando de “Sausage Studios, the wurst sound in London” (um jogo de palavras com duplo sentido entre o ingl√™s e o alem√£o).¬†L√° eles produzem entre outros algumas bandas, composi√ß√Ķes pr√≥prias e tamb√©m fazem parcerias. Eles foram convidados ent√£o a compor e produzir as m√ļsicas dos epis√≥dios e o tema de abertura do desenho animado¬†Tinkershrimp & Dutch da Nickelodeon UK, que foi desenvolvido por volta do segundo semestre de 2015 .

Tinkershrimp & Dutch √© uma s√©rie de 5 mini epis√≥dios exclusivamente veiculados sob demanda e por servi√ßos online que estreou em 15 de janeiro e teve seu √ļltimo epis√≥dio divulgado em 12 de fevereiro de 2016. A s√©rie conta a hist√≥ria de um lagostim e um l√≥ris-pregui√ßoso,¬†chamados Tinkershrimp e Dutch respectivamente, que trabalham como seguran√ßas para um rei. Existe a possibilidade de mais epis√≥dios serem criados em breve.

Esse primeiro v√≠deo mostra o resultado final do tema de abertura do desenho, composto e cantado por eles…

 

     

 

O Nick fala que sempre quis fazer m√ļsica para um programa de TV infantil por achar alguns absolutamente geniais e conta que ele e o Andy compunham no √īnibus, nos aeroportos durante os momentos de folga nas turn√™s. Andy diz que uma parte dessa abertura do desenho foi composta a 10 anos atr√°s e que partindo da√≠ eles a modificaram e foram conversando, criando, deixando mais com a cara de cada epis√≥dio. Eles receberam as letras prontas, criaram as composi√ß√Ķes, tocam os instrumentos e o Andy canta…

 

 

 

 

 

     

 

Os diretores explicam todo o processo de concep√ß√£o e desenvolvimento de id√©ias do desenho. A partir dos 05min30seg contam de onde surgiu a ideia de chamar o Sausage Studio para compor as m√ļsicas dizendo que como j√° trabalhavam com o Franz desde o come√ßo da banda (chegaram a construir o site, fazer alguns videoclipes e um DVD), entraram em contato com o Nick que topou participar. Nick e Andy contam sobre as (poucas) instru√ß√Ķes que receberam e a forma como foram pensadas as composi√ß√Ķes…

 

 

 

 

 

     

 

Por fim eles apresentam o Sausage Studios, falam sobre como começaram a tocar e compor, como é o processo de criação e composição musical e dão dicas para quem está começando.

 

     

 

Site oficial com mais informa√ß√Ķes¬†sobre¬†Tinkershrimp & Dutch

NOTA OFICIAL FRANZ FERDINAND

8 de julho de 2016 às 7:53 por Simone


O Nick não fará parte da gravação ou da turnê do próximo álbum do Franz Ferdinand.

 

“Quando n√≥s gravamos e fazemos turn√™, √© um compromisso de tempo integral que leva no m√≠nimo um ano e meio, e a maior parte √© gasta longe de casa. Nick tem uma jovem fam√≠lia e n√£o quer ficar longe deles por um per√≠odo t√£o longo.

√Č uma grande oportunidade para ele explorar alguns de seus outros interesses musicais no entanto. N√≥s mal podemos esperar pra saber do que ele est√° afim.

Essa n√£o √© necessariamente uma situa√ß√£o permanente e n√≥s te contaremos se as circunst√Ęncias mudarem no futuro.

N√≥s amar√≠amos poder dizer que esse √© o resultado de diferen√ßas pessoais ou musicais, mas n√£o √©. Foram essas diferen√ßas que formaram a banda, em primeiro lugar.”

Do Nick:

“Eu realmente gostaria de agradecer a todos os f√£s por serem uma inspira√ß√£o t√£o grande pelos anos. Foi um √≥timo per√≠odo. Eu vou me concentrar em produzir e escrever algumas coisas completamente diferentes por um tempo e n√≥s todos mal podemos esperar para saber sobre o novo √°lbum do Franz Ferdinand.”

Feliz anivers√°rio Nick McCarthy!

13 de dezembro de 2014 às 16:21 por Simone


Em uma entrevista a algum tempo atrás, o Alex declarou que o Nick é a pessoa mais positiva que ele já conheceu.

Para nós, fãs, isso se reflete claramente na personalidade brincalhona, sempre sorridente, de bem com tudo, maluca e simpática ao extremo.

√Č assim que n√≥s te conhecemos e √© assim que a gente te admira, Nicholas. Que voc√™ possa continuar compondo e tocando pelos palcos do mundo todo fazendo o que mais gosta por muitos e muitos anos ainda!

nickbrasillindao

Um brinde a você Nick, parabéns pelos 40 anos!

tumblr_nciil69TFg1s8qsz2o1_1280

Créditos fotos: 1- RTRWRA tour no Brasil (fotógrafo desconhecido)  | 2 РAlex Kapranos tumblr РHighlights & Shadows

5 mulheres em sua vida | Nick McCarthy – Franz Ferdinand

17 de dezembro de 2013 às 16:23 por Simone


Tradução e agradecimentos: Aline Romy

Quem n√£o foi apaixonado por Sophie Marceau?”

26 novembro de 2013 – Entrevista por Faustine Kopiejwski

Após terem lançando seu quarto álbum, os quarto garotos do Franz Ferdinand estão em turnê mundial e estarão de volta na França em março de 2014. Entre dois shows, o guitarrista Nick McCarthy nos fala das cinco mulheres de sua vida.

RONJA R√ĄUBERTOCHTER

Ronja era a garota mais legal que eu vi quando tinha oito anos, mesmo seu pai sendo bem malvado (Nda: Na verdade, o romance de Astrid Lingren de onde é tirada essa série se chama Ronya, filha de um bandido). Eu queria conhecê-la, me tornar seu amigo e fazer parte de todas as suas aventuras. Ela era tão corajosa. Eu assistia essa série fielmente. Foi ela que me deu um gosto pelas aventuras ao ar livre: escalar montanhas, entrar em velhos edifícios em ruínas, esse tipo de coisas.

   

 

HEIDI

Eu cresci nas montanhas do sul da Alemanha e Heidi era um desses estranhos desenhos animados japoneses, feitos para os espectadores alem√£es, e que¬†na minha √©poca existiam muitos. Os produtores faziam a anima√ß√£o por um pre√ßo barato no Jap√£o e produziam o resto na Alemanha. Eles usavam m√ļsica alem√£ ou tcheca para as trilhas sonoras e eu sempre amei as can√ß√Ķes desses desenhos. A maioria delas foi escrita por um tcheco chamado Karel Svoboda.¬†Minha m√ļsica preferida era uma que tocava¬†no Pinocchio. Infelizmente, a m√ļsica de abertura de Heidi puxa um pouco demais pro Schlager (estilo de m√ļsica popular na Europa Central e do Norte), mas isso n√£o me impedia de assistir¬†ao programa antes de ir caminhar pelas montanhas .

   

 

BILLIE HOLIDAY

Eu estudei jazz por algum tempo, mas, sinceramente, nunca gostei da cena. Ningu√©m tocava por amor a m√ļsica. Parecia esporte, era horr√≠vel. Mas depois disso comecei a tocar em uma banda de krautrock alem√£o que se chamava Embryo, e eles acreditavam no que faziam. Eles tocavam incrivelmente bem seus instrumentos e por boas raz√Ķes. O l√≠der da banda, Christian Burkhard foi o meu guru durante anos. E ainda o √©, talvez inconscientemente. Nos anos 60 , ele saiu em turn√™ com Mal Waldron , o pianista de Billie Holiday. E por mais louco que possa parecer , eu tamb√©m tive a oportunidade de viajar com ele. Foi uma experi√™ncia t√£o incr√≠vel que eu¬†fico com¬†l√°grimas nos olhos s√≥ de pensar nisso. Esse homem era muito humilde, e ele podia tocar qualquer coisa no piano. Sua m√ļsica parecia rasgar o seu cora√ß√£o. Ent√£o, obviamente, ouvimos muito Billie Holiday durante aquela √©poca. Muito mesmo. Ela √© de longe a minha cantora de jazz preferida. Que tr√°gica dimens√£o em sua voz! Existe algu√©m mais legal do que ela? Eu nunca tinha me sentido assim antes. E eu me apaixonei de verdade.

  

 

SOPHIE MARCEAU

Essa √© especialmente para voc√™s, franceses. Eu era completamente apaixonado por Sophie. Mas quem n√£o era? Imagino que na Fran√ßa todo mundo viu ‚ÄúLa Boum‚ÄĚ, mas na Alemanha n√£o era¬†t√£o conhecido. N√£o sei bem porque, mas eu a¬†tinha em v√≠deo que eu assistia secretamente com os meus amigos e tent√°vamos dan√ßar ‚Äúslows‚ÄĚ (m√ļsica lenta). Levamos alguns anos antes de¬†praticarmos de verdade. Receb√≠amos crian√ßas francesas na nossa escola e os meninos ‚Äúdavam em cima‚ÄĚ de meninas que n√≥s n√£o ous√°vamos nem olhar. Os meninos franceses sempre estavam t√£o a frente de n√≥s. Eu os odiava. De qualquer forma, ainda amo essa m√ļsica. Ah, os fantasmas da adolesc√™ncia.

  

 

TIA DOT / NANA

Al√©m da minha esposa, s√£o as duas mulheres mais incr√≠veis que j√° conheci. Minha v√≥ (Nota do autor: Nana) vivia com um casal de idosos, a tia Dot e o tio Bill e, quando n√≥s os visit√°vamos em Liverpool, riamos o dia inteiro. Eles foram a maior fonte de alegria da minha inf√Ęncia. Eles¬†tamb√©m tocavam muito bem piano e pass√°vamos horas cantando com eles na sala. Eu queria muito¬†tocar daquele jeito, at√© hoje eu tento. Eu gostaria que eles tivessem vivido para sempre. Infelizmente n√£o h√° nada sobre eles¬†no YouTube. Mas aqui est√° toda a gangue, com meu irm√£o, minha irm√£ e minha m√£e na famosa sala de estar.

dot-bday-with-Anthonys-family-700x558

FONTE: ChEEK MAGAZINE

Happy Birthday Nick!

13 de dezembro de 2012 às 6:01 por Simone


That you continue always shining on the world stages, taking your talent, your joy and happiness wherever you go.

Thank you for always being so kind and considerate to everyone, we wish that your day be filled with best things and that next year is accompanied by much work, love, health and amazing new experiences. We are as always very anxious waiting for the next show, ready to give back in Brazilian best way this happiness that you and Franz provide us.

We made a video with messages representing all Brazilian fans.

Happy Birthday!
…from your fans and Franz Ferdinand Brasil

 

——————————

Que você continue sempre brilhando pelos palcos do mundo e levando seu talento, a sua alegria e sua felicidade por onde quer que passe.

Muito obrigada por ser sempre t√£o am√°vel e atencioso com todos, que o seu dia seja recheado de coisas boas e que o pr√≥ximo ano venha acompanhado de muito trabalho, amor, sa√ļde e experi√™ncias incr√≠veis. Estamos como sempre muito ansiosos esperando pelo pr√≥ximo show, prontos para retribuir a nossa maneira essa felicidade que voc√™ e o Franz nos proporcionam.

Fizemos um vídeo com mensagens representando todos os fãs brasileiros.

Feliz anivers√°rio!
…de seus f√£s e do Franz Ferdinand Brasil

 

Nick BDay

 

*Agradecimentos: Ana Figueiredo pela ajuda na corre√ß√£o do v√≠deo, Alejandra Reyes pela montagem de fotos do Nick e aos nossos amigos New Chilean Gentry, Franz Ferdinand M√©xico, Franz Ferdinand Jalisco, Franz Ferdinand Col√īmbia e The Outsiders Argentina pela parceria de sempre!

Franz Ferdinand: A pop é para quem tem estilo Рvídeo

11 de setembro de 2011 às 15:22 por Simone


por Tiago Pereira , Publicado em 02 de Dezembro de 2009
¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†Nick McCarthy, o guitarrista: ¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† “Para voc√™s, rock ao vivo √© como um jogo de futebol”, diz ao i Nick McCarthy, guitarrista da banda que actua hoje em Lisboa

√Č verdade. E se pensar bem n√£o encontro grandes raz√Ķes para que isso tenha acontecido. Bem, talvez… Cometemos alguns erros no in√≠cio do nosso percurso, com todo o sucesso que alcan√ß√°mos. Erros em termos de n√ļmeros. Fizemos coisas a mais.

T√™m alguns problemas em dizer “n√£o” √© isso?
Tivemos, sim, agora somos mais homens, estamos mais crescidos. Até há um par de anos tocávamos em toda a parte, em qualquer altura. Acabámos por perceber que isso não pode continuar durante muito tempo, é uma questão de sanidade mental. Funciona um pouco como as entrevistas que damos.

N√£o gostam de dar entrevistas?
De uma forma geral gostamos, mas podemos sempre questionar a utilidade de uma entrevista a uma banda.

Talvez o mais interessante seja tentar descobrir algo que n√£o esteja expl√≠cito na m√ļsica que um grupo faz, algo mais √≠ntimo mas que se possa relacionar com a sua express√£o…
√Č, essa √© a parte que tamb√©m a mim me interessa nas entrevistas que leio. Mas sou cada vez mais apoiante da teoria de um amigo que me costuma dizer que as bandas pop n√£o deveriam dar entrevistas, porque nunca t√™m nada de interessante para contar.

Como se enquadram hoje os Franz Ferdinand nesse tipo de cataloga√ß√£o? Est√£o mais perto do mainstream do que alguma vez estiveram…
Sim, isso é bizarro.
Quando começámos, lutávamos contra o mainstream, não gostávamos do que tocava na rádio, da onda que tomava conta dos palcos e das lojas de discos.

Que onda era essa?
Em 2000, 2001? Lembro-me de ouvir bandas chatas, muitas daquelas coisas shoegaze. M√ļsicas que vinham ainda do final dos anos 90, ritmos de dan√ßa desinteressante, pessoas a tocar apenas com computadores, com um dedo. N√£o havia ac√ß√£o. E lut√°vamos contra isso. Havia coisas a acontecer, bom hip-hop, mas esse n√£o era √© bem o nosso mundo.

Mas essa luta levou-vos a ser a refer√™ncia, os pap√©is inverteram-se…
√Č um sentimento estranho, lutar contra o mainstream e agora fazer parte dele. Gostamos de nos aproximar deste mundo mas… Este terceiro disco demonstra bem a nossa cont√≠nua vontade de mudar. Cans√°mo-nos das bandas que est√£o nos tops porque soam todas ao mesmo, √© terr√≠vel. Toda a gente est√° a tocar ritmos disco na bateria, o baixo com o efeito octave, todas as guitarras s√£o iguais… N√£o quero mais fazer isso. √Č como quando andamos na escola e temos a mania de que ouvimos a coisa mais cool do mundo. Como quando ouvi “Smells Like Teen Spirit” pela primeira vez. Tudo aquilo era incr√≠vel. Mas cheguei √† escola no outro dia e estava tudo a ouvir a mesma coisa. Foi f√°cil passar a odiar Nirvana a partir desse dia – pelo menos durante um curto espa√ßo de tempo. A grande realidade destes dias √© que os Franz Ferdinand s√£o realmente famosos.

E isso é algo a combater?
Não, ainda não chegámos a esse extremo na nossa relação com a popularidade, até porque só alguém muito cínico estaria numa banda para não ter sucesso.
O grande problema é que nada disto funciona como uma receita de bolos, as doses não são medidas antes da fermentação.
As coisas simplesmente acontecem. Ent√£o connosco foi quase rid√≠culo. Nunca fizemos grandes planos para nada, somos at√© uma banda razoavelmente desorganizada. Apenas gostamos de escrever can√ß√Ķes pop com estilo e toc√°-las enquanto banda. √Č isso mesmo: temos muito estilo, √© o nosso segredo. Como os Blondie ou os Talking Heads.

E n√£o querem escrever can√ß√Ķes como outros mais contempor√Ęneos?
N√£o tenho encontrado motivo para excita√ß√£o na pop dos nossos dias. Apercebi-me disso h√° pouco tempo, quando olhei para as revistas e jornais de m√ļsica que tinha em casa: √© tudo sobre artistas e discos antigos, sobre as refer√™ncias das minhas refer√™ncias. Estarei velho, estarei perdido nos meus gostos? Penso que n√£o. Ainda h√° coisas que me deixam ansioso. Por exemplo, os Metronomy, que estar√£o de regresso em breve. Estar√° o segredo do futuro na electr√≥nica? Talvez. Nos nossos concertos, por exemplo, os momentos que assentam em electr√≥nicas est√£o incr√≠veis. N√£o tenho vergonha nenhuma de o dizer – estamos on fire quando chega a altura de dan√ßar em palco. Podemos dizer on fire numa entrevista em Portugal, certo?

Claro. Até porque ajuda ao entusiasmo de quem vai ao concerto.
Sei que vocês não precisam disso, para vocês, rock ao vivo é como um jogo de futebol.

Isso √© um elogio, naturalmente…
√ďbvio. O futebol √© como se fosse um encontro familiar, talvez seja apenas um pouco mais irrequieto.

FONTE: ionline

Publicado por | Categoria(s): Banda,Entrevista,McCarthy | Tags: , ,
Pr√≥xima p√°gina ¬Ľ
  

Categorias

Arquivos

Links